Página principal / Vou morar em Viena / Como viajar com pouco dinheiro e aproveitar ao máximo
Como viajar com pouco dinheiro e aproveitar ao máximo

Como viajar com pouco dinheiro e aproveitar ao máximo

Mais um post da série sobre intercâmbio! João Gozetto é brasileiro, fez intercâmbio aqui em Viena e compartilhou sua experiência com a gente! Ele já contou como encontrar a acomodação perfeita, como é o dia a dia na faculdade e se você não viu o primeiro post da série, veja aqui!

 

Texto escrito pelo João Gozetto, leitor e ex-intercambista na WU em Viena.

Esta semana vamos falar de uma coisa que interessa muito aos intercambistas: aproveitar os meses morando fora para viajar aos países que agora estão tão perto.

 

Como viajar com pouco dinheiro e aproveitar ao máximo

Realmente vale muito a pena conhecer o máximo de países e locais possíveis. Já que não é barato sair do Brasil, tem que aproveitar! E, acredite: todos os intercambistas com quem tive contato, de todos os países possíveis, vão com isso em mente (principalmente para a Áustria, por ser um país muito central).

Eu não gosto de viajar sozinho, então sempre tentava achar pelo menos um companheiro. Às vezes viajava com amigos do Brasil, outras com os intercambistas e até mesmo com pessoas aleatórias que conheci ao longo da vida (em outros intercâmbios ou amigo de um amigo, por exemplo).

O sistema de horário de aulas na Áustria é bem confuso, o que pode ser bom para intercambistas. Isso pelo fato de não ter aula todos os dias da semana. Os horários, dias e frequência das aulas são bem aleatórios. Por exemplo: em uma das disciplinas que fiz, na primeira semana tive aula na terça-feira de manhã, na outra semana a aula era sexta-feira à noite. Isso acontece muito por causa da disponibilidade dos professores e também das salas de aula, convenhamos que não é fácil gerenciar salas para 26 mil alunos.

Com essa flexibilidade, acabei adaptando minhas aulas de acordo com as minhas viagens. É claro que não escolhi matérias somente por esse critério, mas este foi sim um deles. Eu quase não tinha aula às segundas e sextas. Isso facilitou bastante e barateou muito minhas viagens.

A escolha dos destinos sempre era uma discussão bem grande entre aqueles que viajariam. Testávamos vários destinos para caber no nosso orçamento. Por fim, acabei conhecendo muitos lugares. Foram 23 cidades em 11 países (Portugal, Espanha, Grécia, Holanda, Itália, Slovakia, República Tcheca, Hungria, Alemanha, Croácia e Áustria). E acho que todas foram válidas.

Depois dos destinos serem escolhidos, comprávamos todas as passagens e reservávamos hostel ou um apartamento. Sair com essas duas coisas reservadas facilita muito qualquer viagem – principalmente quando não se tem tempo a perder no destino.

Viena não é uma cidade barata para pegar voos internos na Europa. O aeroporto da cidade não tem nenhuma empresa aérea Low Cost, e essas empresas são as melhores amigas de um intercambista que ama viajar. Aqui vai a primeira dica: sempre que utilizei avião, saí de Bratislava, capital da Eslováquia. O custo do ônibus de Viena para lá é bem baixo (por volta de €6) e a Ryanair e a Easy Jet – conhecidas empresas low costs – voam de Bratislava para diversos destinos. Importante lembrar que mala pequena é essencial para viajar em um avião dessas empresas.

Ônibus também é uma ótima opção para viajar pela Europa. De acordo com a experiência que tive, em muitos casos foi mais barato até do que viajar de trem. Na verdade, sempre dei preferência para viajar de ônibus. Não viajei de trem nenhuma vez! A escolha do meio de transporte tinha os seguintes critérios: preço, cansaço e tempo disponível para a viagem.

Para ver tudo isso eu usava o aplicativo Go Euro. Achei simplesmente incrível, pois reúne todas as informações de quase todas as empresas de ônibus, trens e avião, podendo ser filtrado por qualquer um dos critérios citados acima.

Sempre fazia uma planilha dos custos que eu ia ter naquela viagem. De acordo com o local fazia uma estimativa do que gastaria em comida e transporte público. Uma das melhores coisas para fazer esta estimativa é se basear no preço da acomodação. Abaixo, vocês podem ver uma das planilhas que fiz para minha maior viagem, que durou 13 dias, onde visitei: Milão, Barcelona, Lisboa, Porto, Ibiza, Nice, Mônaco e Veneza. Acho interessante mostrar essa viagem porque fui a lugares baratos, caros e médios, então da pra ter uma noção bem boa. Ah, eu não saía do orçamento não! Só abusava um pouco em festas e bares, que não estão incluídos neste orçamento.

Saiba como é visitar Mônaco na semana da Fórmula 1

Planilha de gastos

Transporte

Acomodação

Esperado Comida

Qual Transp-trecho Quanto? Onde? Quanto?
10-Jun

Voo Bratislava-Milan

23,45

Milao

20,00

11-Jun

Voo Milan-Barcelona

27,53

Barcelona

16,84

20,00

12-Jun

16,84

20,00

13-Jun

16,84

20,00

14-Jun

Voo Barcelona-Lisbon

66,94

Lisboa

15,99

16,00

15-Jun

15,99

16,00

16-Jun

Porto

15,00

16,00

17-Jun

Voo Porto-Barcelona

24,47

Barcelona

16,00

20,00

18-Jun

Voo Barcelona-Ibiza

70,38

Ibiza

35,00

30,00

19-Jun

35,00

30,00

20-Jun

35,00

30,00

21-Jun

Voo Ibiza-Barcelona

40,07

35,00

30,00

Onibus Barcelona-Nice

37,00

Onibus noturno

0,00

35,00

22-Jun

Onibus Nice-Veneza

33,00

20,00

23-Jun

Onibus Veneza-Viena

42,00

Veneza

30,00

30,00

TOTAL

364,84

283,49

353,00

Quanto às atrações turísticas, eu não calculava, pois este valor é realmente muito diferente de lugar para lugar e eu também tinha a carterinha de estudante Europeu, então muitas atrações acabaram saindo de graça, o que também ajuda muito a economizar.

Essa viagem foi sim um pouco cara, mas tem muitos destinos baratíssimos para ir de Viena e me surpreenderam muito. Os maiores exemplos são Budapeste, na Hungria e Praga, na República Tcheca. Os dois países ficam bem perto de Viena e em cada um deles eu gastei entre 120 e 150 euros para passar o final de semana. Deu para aproveitar bastante! Além disso, são mais próximos de Viena, era mais barato passar o final de semana nestes locais como turista do que ficar em Viena e sair para bares, restaurantes e etc.

Veja dicas de Budapeste

Saiba como ir de Viena para Praga

Pelo que vocês viram, eu consegui aproveitar muito o período do intercâmbio para conhecer novos lugares além de estudar. Acredito que muitos deles me ensinaram mais do que alguns conteúdos da faculdade. Viajar é libertador e abre a cabeça do ser humano mais que qualquer coisa.

 

E você? Já pensou quais lugares vai querer conhecer quando for fazer seu intercâmbio?

 

Sobre Letícia Diethelm

Amo Viena e não gosto da torta Sacher. Sim, é possível!

Veja também:

horario_ergebnis

Horários de funcionamento em Viena

Quando alguém me pergunta sobre ponto negativo de morar em Viena, respondo sem pensar duas ...

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *